Bairro foi um dos que teve maior alta no valor do imóvel em 2013

Para bem e para o mal, um bairro quando se valoriza pode trazer pontos positivos e negativos. Isso é o que acontece com a Casa Verde. Segundo o mercado, uma unidade no bairro teve valorização de 30% no ano passado – uma das maiores da cidade.

Isso significa que uma unidade ficou mais cara, a locação aumentou, gerando mais lucros para os seus proprietários, mas também fazendo com que um lançamento no bairro fica cada vez mais caro.

E mais: os carnês do IPTU que começaram a chegar às casas este mês também vem com valores maiores. Esse é, literalmente, um dos preços a se pagar. De positivo, um bairro valorizado atrai mais interesse, investimentos e melhorias. Tudo para atender um consumidor ainda mais exigente.

Como o morador da zona norte, segundo pesquisas, é o mais fiel da cidade – ou seja, ele não costuma mudar da região -, a tendência é que a Casa Verde continue se valorizando. De acordo com agentes que atuam no bairro, o preço dos imóveis subiu mais a média da cidade. Conforme o Portal ZN Imóvel, o preço do metro quadrado de uma casa de dois dormitórios e uma vaga de garagem pode girar entre R$ 2,5 mil e R$ 6,2 mil.

E o interesse no bairro só aumenta. Segundo levantamento da consultoria imobiliária Lopes, a Casa Verde é segundo bairro mais procurado pelos compradores na zona norte. Pudera, ele tem infraestrutura, está próximo de áreas mais centrais e de empresas, principalmente de logística. Além disso, seus quase 76 mil habitantes (de acordo com o Censo de 2010) têm renda média de R$ 1,5 mil.

Hoje, é o 65º bairro mais populoso da cidade e tem índice de Desenvolvimento Humano de 0,874. O IDH é a medida comparativa de riqueza, alfabetização, educação, esperança de vida, natalidade e outros fatores para os diversos países do mundo. O da Casa Verde é considerado alto e é o 36º da cidade. Na zona norte, é o quarto.

Autor: Marco Barone (barone.noticias@spimovel.com.br) em 20/01/2014