Em São Paulo, bairros das zonas Leste e Norte oferecem infraestrutura e comodidades. Lançamentos são formados por condomínios de alto padrão, com academias, piscinas, playgrounds e salões de festas

 

A crise econômica afeta diversos setores da economia e o mercado imobiliário não pode ser considerado exceção. Mas se para alguns o momento não é o ideal para comprar imóveis, para outros a realidade pode ser encarada como oportunidade. Como o volume de vendas não é mesmo da época do boom imobiliário, o estoque de imóveis aumentou durante a crise do país, favorecendo uma negociação mais vantajosa para quem for comprar. Seja para morar ou investir, a palavra de ordem é pesquisar as melhores ofertas.

Só é preciso ter cuidado na hora de escolher o apartamento ideal para investir. Em São Paulo, lançamentos e imóveis à venda são encontrados em todas as regiões, daquela que tem o metro quadrado mais caro até o mais barato. Nesta situação, é preciso encontrar algumas respostas. Sendo as principais: esta moradia atende as minhas necessidades? O deslocamento de casa para o trabalho compensa a aquisição? Estou coberto por uma boa rede de negócios e serviços ao meu redor? Minha compra pode se valorizar?

Quem vive o mercado afirma que duas regiões da cidade de São Paulo respondem de forma positiva a estes questionamentos, a Zona Leste e a Zona Norte. As regiões são compostas por bairros tradicionais e em franca expansão, como Vila Matilde, Casa Verde, Vila Guilherme, Santana, Tucuruvi e Vila Prudente.

Apartamentos menores com mais conforto

O censo demográfico do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), realizado em 2010, já apontava a tendência da nova família brasileira. De um modo geral, ela é formada por casais sem ou com apenas um filho, com uma média de ocupação de 3,34 pessoas por domicílio. E isso reflete diretamente nas construções que o mercado oferece.

Apartamentos de um ou dois quartos, com metragem que vai de 60 a 85 metros quadrados são os mais comuns nos lançamentos das grandes construtoras, embora isso não quer dizer que falte conforto. Pelo contrário, os novos empreendimentos são formados, ainda, por grandes e modernas áreas coletivas, que vão desde academias de ginásticas até piscinas, salões de festas e áreas gourmet.

Outra vantagem é que o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), calculado em cima desta metragem, tende a ficar mais barato. Em momentos de crise, isso significa conforto aos investidores, pois não terão grandes prejuízos, mesmo que eventualmente os imóveis fiquem desocupados.

Boa localização é tudo?

A localização representa boa parte do valor de um imóvel. Além da boa rede de comércio, um bairro valorizado precisa dispor de outros serviços, como transporte público eficiente, hospitais, escolas e áreas de lazer. Os bairros de São Paulo que se destacam e oferecem os melhores lançamentos do mercado reúnem estas peculiaridades.

Para investir na Zona Leste

Na Zona Leste, a Vila Matilde associa boa localização à segurança contra enchentes. Longe dos rios que cortam São Paulo, e trazem transtornos à população, oferece uma boa estrutura para valorizar o imóvel, como hospitais e escolas. A estação de metrô, que compõe a linha 3, favorece o deslocamento rápido para qualquer bairro de São Paulo.

Na mesma região da Zona Leste, está a Vila Prudente, atendida pela linha 2 do metrô e há cerca de cinco quilômetros da Sé. Sua localização privilegiada aproxima o paulistano de bairros tradicionais, como Mooca, e grandes centros populares de compra, como Liberdade e Brás.

Para investir na Zona Norte

Na Zona Norte de São Paulo, o mercado imobiliário aponta como excelentes investimentos bairros que oferecem opções de lazer, como shopping centers e parques, e estrutura para rápidos deslocamentos, que incluem estações de metrô e grandes corredores de tráfego.

Na Casa Verde, próxima da marginal Tietê, o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é considerado elevado, o que comprova o bem-estar da população, estimada em 106 mil habitantes. Shoppings e supermercados são algumas das comodidades que o morador tem próximo de sua casa.

Ainda na Zona Norte, a Vila Guilherme tem, além de todas estas comodidades, um centro de convenções importante para São Paulo, o que atrai novos negócios e investidores. Comprar um imóvel neste bairro é sinônimo de retorno garantido, em curto e médio prazo. Sem contar o Parque Vila Guilherme, um espaço público formado por pistas de cooper, playgrounds, eventos culturais e áreas com churrasqueiras.

Santana é, certamente, um dos bairros mais promissores para investir ou morar em São Paulo. A região possui estação de metrô e uma boa oferta de serviços, com destaque para a área da educação. São três universidades, dez escolas públicas e 16 privadas. Existem ainda três bibliotecas públicas em Santana.

Quem busca segurança, Tucuruvi é a escolha. A invernada da Polícia Militar, instalada no bairro, garante uma boa presença de policiais nas ruas, a todo o momento. Além disso, a estação de metrô é referência em todo o bairro, assim como um grande shopping.

O Centro é sempre referência

A região central de São Paulo também está repleta de boas oportunidades para investir ou morar. A Consolação é uma aposta do mercado imobiliário, pois associa bons preços com localização privilegiada e infraestrutura de ponta. Na região, é possível encontrar escolas, hospitais, centros de compras e até um museu.  É a escolha certa para os investidores mais cautelosos.