Na hora de comprar a sua casa, você pode contar com diferentes formas de conseguir dinheiro para quitar as parcelas do seu imóvel por meio de várias formas de empréstimos com instituições financeiras. Os financiamentos imobiliários disponíveis atualmente no Brasil possuem taxas de juros atraentes, que permitem um planejamento a longo prazo, inclusive podendo diminuir ao longo do tempo.

Entenda o que é um financiamento imobiliário

O financiamento imobiliário é uma modalidade de empréstimo baseada em uma linha de crédito, em geral cedido por bancos e financeiras para pessoas físicas. Assim, é possível receber um determinado valor para adquirir um bem, no caso, um imóvel próprio, que pode ser novo ou usado, residencial, comercial ou mesmo lotes para construção de residências. Esse recurso geralmente cobre apenas uma parte do valor do imóvel (o restante é dado como sinal para a compra) que será pago em parcelas mensais adicionadas de juros e outras taxas.

Tipos de financiamento

SFH (Sistema Financeiro de Habitação)

Foi desenvolvido pelo governo federal, e utiliza o FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço), além dos recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimos (SBPE), representado pela caderneta de poupança. Esse financiamento só contempla pessoa física, com prazo máximo de 240 meses (20 anos) para a duração do financiamento.

O crédito máximo é de R$ 585.000,00, para imóveis que custem até R$ 750.000,00 (nos estados de Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e Distrito Federal) e R$ 650.000,00 para imóveis localizados nas outras regiões do país. Nesse caso, as parcelas deverão ser equivalentes, no máximo, a 30% da renda do comprador. Já as taxas de juros podem variar até 12% ao ano, permitindo a utilização do FGTS na quitação da dívida.

SFI (Sistema de Financiamento Imobiliário)

Outro tipo de financiamento federal, ele funciona como um complemento de crédito ao SFH, atendendo necessidades específicas, mas com risco menor. Essa linha de crédito contempla tanto pessoa física quanto jurídica, e não há o requisito de um valor máximo para aquisição do imóvel, podendo contemplar imóveis acima dos R$ 500.000,00 (incluindo imóveis comerciais). Também não há limite para o comprometimento da renda. É possível conseguir de crédito entre 80% e 90% do valor do imóvel, mas o tempo máximo de duração do financiamento é de 120 meses (10 anos), o que pode tornar as parcelas maiores, até porque os juros podem variar.

Minha Casa Minha Vida

Programa criado no ano 2009, o Minha Casa Minha Vida possibilita a realização do sonho da casa própria para famílias de menor renda. Nesse tipo de financiamento, a pessoa pode utilizar o saldo do FGTS para quitar as parcelas, que terão duração máxima de 360 meses (30 anos). Esse programa atende famílias com diferentes faixas de renda mensal de até R$ 6.500,00, com diversas taxas de juros.

Para conseguir participar do programa, é preciso viver em cidades com mais de 50 mil habitantes, e o valor do imóvel a ser financiado pode ser de até R$ 200.000,00 (nos estados do Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina, Espírito Santo e Minas Gerais), de até R$ 225.000,00 (no Rio de Janeiro, São Paulo e Distrito Federal) e de até R$ 90.000,00 para imóveis localizados nas demais regiões do Brasil. Veja abaixo a faixa de renda contempladas pela Minha Casa Minha Vida e as taxas de juros cobradas:

  • renda mensal de até R$ 1.800,00 podem receber subsídio do governo para a quitação das parcelas do financiamento
  • renda mensal de R$ 1.800,00 a R$ 2.350,00, pagando 5% de juros por ano
  • renda mensal de R$ 2.350,00 a R$ 3.600,00, pagando entre 6% e 7% de juros por ano
  • renda mensal de R$ 3.600,00 a R$ 6.500, pagando 8% de juros por ano.