Zona leste é o segundo melhor lugar para viver em SP, diz pesquisa

BÁRBARA PEREIRA
COLABORAÇÃO PARA A FOLHA

 02h00

A zona leste é vice-campeã duas vezes: é a segunda melhor região para viver em São Paulo, de acordo com os próprios paulistanos, e ficou em segundo lugar no número de novos prédios residenciais nos últimos três anos.

Nos dois casos, o primeiro lugar é da zona sul -líder na preferência dos moradores da capital, segundo pesquisa Datafolha feita entre 10 e 12 de agosto com 493 pessoas.

Na zona leste, Tatuapé e Vila Prudente disputam a preferência das incorporadoras. Enquanto no primeiro foram construídos 42 empreendimentos nos últimos cinco anos, no segundo foram erguidos 24 condomínios.

Em comum, os dois bairros têm boa infraestrutura, acesso fácil a outras regiões da cidade e áreas de lazer.

O Tatuapé, por exemplo, é próximo dos parques Ceret (Centro Esportivo, Recreativo e Educativo do Trabalhador) e Piqueri, além dos shoppings Metrô Boulevard Tatuapé e Anália Franco.

“É uma boa opção para quem mora em bairros mais afastados da zona leste, mas trabalha na região central”, diz Marcelo Dzik, diretor comercial da Even, que entrega em 2019 o empreendimento Mirada Tatuapé, com imóveis de dois e três quartos com plantas entre 48 e 61 metros quadrados. O prédio ficará próximo das estações Tatuapé e Carrão do metrô.

Foi a boa oferta de transporte que fez a enfermeira Leiliane Carvalho Nunes, 25, querer se mudar da zona sul de São Paulo para a zona leste. Ela e o noivo escolheram o bairro da Vila Prudente. “A nossa única exigência era que fosse perto das linhas verde ou azul do metrô”, conta.

Foi visitando um empreendimento na região que eles encontraram o Maxmitre Vila Prudente. O prédio, lançado em setembro, terá 190 apartamentos de 58 e 77 metros quadrados. Metade das unidades já foram vendidas.
Outra opção na região é o Spazio Helbor, com apartamentos de três dormitórios e plantas que vão de 78 a 120 metros quadrados.

A planta de cem metros quadrados no empreendimento da Helbor é negociada por em torno de R$ 630 mil.

Renato Lobo, vice-presidente de negócios da Brasil Brokers em São Paulo, aposta que a zona leste deve ser destaque em 2018.

“Em média, 45% dos imóveis lançados na região são vendidos em 12 meses. A média de São Paulo é de 36%”, diz. Segundo ele, ainda há espaço para crescimento.

 

Link da matéria na Folha: http://www1.folha.uol.com.br/sobretudo/morar/2017/10/1925116-zona-leste-e-o-segundo-melhor-lugar-para-viver-em-sp-diz-pesquisa.shtml