Região tem seus pontos favoráveis para o mercado imobiliário, mas também para quem gosta de turismo de muitas espécies

Boa para morar, boa para curtir, boa para negócios, boa para turismo e boa para investir. Assim pode ser definida a zona norte. Na região, há diversas opções que geram interesse de investidores, moradores, turistas, construtoras e compradores.

Há anos, a região tem se destacado no turismo de negócios. Com o Pavilhão Anhembi e o Expo Center Norte, entre outros, a zona norte, historicamente, recebe os principais eventos da cidade. Há 43 anos o Anhembi – maior e mais versátil espaço contínuo para eventos da América Latina – recebe 30% das principais feiras e eventos de negócios do Brasil, como o Salão do Automóvel, Equipotel, Francal, entre outras. Além disso, o espaço também conta com o Sambódromo que, além do desfile das escolas de samba, recebe grandes shows durante todo o ano. O Expo Center Norte é mais novo, mas não menos importante. Acontecem nele grandes eventos como Brasil Game Show, Beauty Fair, Hospitalar etc.

A região também tem uma vida noturna bem agitada, com muitos bares e restaurantes. Aliás, a zona nortetem se transformado em um importante centro gastronômico. Recentemente, a região foi apontada pelo jornal The New York Times como interessante para o turismo.

Esse novo cenário vem muito ao encontro do crescimento do mercado imobiliário local. A zona norte sempre teve uma característica que a diferencia de outros pontos da cidade: a fidelidade de seu morador. Dificilmente quem mora na zona norte sai da zona norte. No máximo, compra um imóvel em outro bairro, mas não sai da região.

Esse “fenômeno” fez com que toda a economia local crescesse. O comércio sempre foi forte – a região conta, hoje, com quatro shoppings e brevemente será inaugurado um novo centro. Os bares e restaurantes sempre foram frequentados por pessoas que moram nos bairros próximos, mas isso mudou. Há anos, esses locais passaram a ser procurados por pessoas de outras regiões.

Enfim, a zona norte cresceu. Parou de ver somente seu próprio umbigo, de interessar somente quem era da região, para atrair uma população itinerante e definitiva vinda de outros cantos da Capital. A zona norte definitivamente está na moda e essa moda não tem data para passar.